Qualidade do arroz

Qualidade do arroz produzido no Brasil ajuda a conquistar novos mercados

Convenção Internacional sobre Arroz aborda a importância da qualidade  no mercado global

A qualidade do arroz produzido no Brasil está conquistando o mercado mundial. Nesse sentido, a RiceTec  têm colaborado para que o grão gaúcho conquiste novos e promissores mercados. 

O mercado de arroz na América do Sul no que diz respeito à qualidade, produtividade e ambiente de negócios foi assunto durante Rice Market & Technology Convention, que ocorreu no início do mês, em Cancun, no México.

“O mercado externo procura por um arroz com alta soltabilidade na cocção, alto teor de grãos inteiros e baixo teor de grãos gessados, características singulares dos grão produzidos na América do Sul e pelos produtos da RiceTec”, disse Roberto Lima, gerente de negócios da RiceTec para Uruguai e Sul do RS, que palestrou durante evento no México. 

Estimativas do setor apontam que nos últimos sete anos o Rio Grande do Sul, que produz 65% do arroz brasileiro, tenha aumentado a área cultivada com a tecnologia da RiceTec em mais de 94%, passando de 6 mil hectares em 2007 para 111 mil hectares em 2014.

“As lavouras com a tecnologia RiceTec apresentam maior resistência às doenças e as variações climáticas, por isso, conseguem manter a produtividade e qualidade do arroz garantindo maior estabilidade produtiva”, destaca o engenheiro agrônomo Leandro Pasqualli, diretor de Marketing da RiceTec.

A empresa multinacional responde por 90% da área plantada com arroz híbrido e 9% da área total do Rio Grande do Sul. O crescimento produtivo das lavouras implantadas com tecnologias da RiceTec na última safra foi de 10%.

De acordo com dados do governo chinês, atualmente, 58% do arroz cultivado no país é híbrido, enquanto nos Estados Unidos esse percentual é de 47% e na Índia de 13%. No Brasil apenas 5% do total da área semeada tem a tecnologia.